Através da Portaria 1510/09, o país iniciou um processo de reorganização das batidas eletrônicas por parte dos trabalhadores. Esse foi um passo fundamental que a organização tecnológica pudesse ter vez no mercado. Visto que antes dela existiam diversas opções, a maioria duvidosa, de batidas eletrônicas de ponto. Fato que estimulou a portaria e deu fim a falta de transparência por parte dos empregadores nos relatórios de batidas e consequentemente o alinhamento das horas trabalhadas de maneira fiel ao trabalhador.

Isso, é claro, teve interesse governamental na arrecadação do GPS(Guia de Contribuição Previdenciária), pois estimasse que Bilhões são sonegados em impostos e após a implantação da portaria alguns desses bilhões serão devidamente arrecadados.

Porém outro ponto deve ser levado em consideração, o fato de que existem tanto empregadores e funcionários infiéis a jornada de trabalho, e com a organização das batidas eletrônicas, tanto um como outro terá que arcar com aquilo que foi preestabelecido no contrato de trabalho. Gerando assim menos processos trabalhistas.

Por fim por ser uma portaria não é obrigatório a adoção do Relógio Eletrônico de Ponto, isso é uma pena, pois ele põe em cheque as indiferenças de valores que tanto empregador e trabalhador questionam. Por isso seria muito interessante que fosse lei, pelo menos com empresas com mais de 20 funcionários. Isso traria muitos benefícios aos trabalhadores, empregadores e também ao governo.

 

Fábio Oliveira Prado
Sócio Fundador